Porque é que todos nos devemos preparar para a 4ª Revolução Industrial?

A água e o  vapor  iniciaram os automatismos produtivos, de seguida surgiu a eletricidade, a robotização e automatização. E agora o que nos espera? Indústria 4.0

Quarta revolução industrial ou indústria 4.0, mas independentemente do nome, o que importa é realçar que se trata da maior combinação do mundo digital com o mundo real. Tudo se liga a tudo e a todos é a Internet das Coisas (Internet of Things), vulgo IoT.

Fábricas inteligentes, em que cada maquina se liga à internet, permitindo visualizar toda a cadeia produtiva, é hoje uma realidade. Os  empregos e a visão do modelo dos negócios estão a mudar.
As consequências desta revolução vão ser muito diferentes, e até de certo modo imprevisíveis, das suas precedentes.
Nesta quarta revolução, estamos perante uma série de novas tecnologias que combinam o mundo físico, digital e o biológico. Essas novas tecnologias afetarão todas as áreas económicas e industriais.
Estas tecnologias  ligam bilhões de pessoas à web e melhorar drasticamente a eficiência das empresas e organizações. Para além dessas mudanças também podem regenerar o ambiente natural.

Esta revolução também poderá envolver graves riscos potenciais. Schwab no seu livro “The Fourth Industrial Revolution” esboça as suas preocupações no que concerne às organizações. Algumas destas não são capazes de compreender o potencia destas tecnologias. Para além disso os governos podem não empregar ou regular essas tecnologias adequadamente. No seu livro, Schwab postula que a deslocalização do poder criará novas e importantes preocupações de segurança, e que as desigualdades entre os países podem crescer em vez de diminuir.

O Perigos da Indústria 4.0

À medida que a automação aumenta, através deste paradigma indústria 4.0, os  computadores e máquinas substituirão os trabalhadores num vasto leque de indústrias.
Muitos especialistas sugerem que a quarta revolução industrial beneficiará muito mais os ricos do que os pobres. Os empregos de baixa qualificação e de baixos salários desaparecerão a favor dos sistemas automáticos de processamento de bens ou serviços, as isto também não é novo.
Historicamente, as revoluções industriais sempre começaram por aumentar as desigualdades, seguida por períodos de mudanças políticas. A revolução industrial que começou no início do século XIX originou uma enorme polarização da riqueza e do poder.

Schwab refere: “As mudanças são tão profundas que, na perspetiva da história humana, nunca houve um período de maior potencial ou perigo potencial. A minha preocupação, no entanto, é que os decisores estão presos aos seus pensamentos tradicionais, ou absorvidos por preocupações do se dia a dia, não  pensam estrategicamente sobre as forças de rutura e inovação que moldarão o nosso futuro”.

Para prosperarem, os líderes empresariais terão de trabalhar ativamente e expandir o seu pensamento, muito mais do que tradicionalmente têm feito.
Os líderes empresariais devem começar a questionar tudo. Desde o repensar das suas estratégias e modelos de negócios, ao descobrir os investimentos certos em formação e investimentos, potencialmente disruptivos.

O futuro está já acontecer em nosso redor. Temos de enfrentar este desafio e prosperar na nova revolução.

Adaptação / Tradução de “The Fourth Industrial Revolution” – Klaus Schwab, Founder and Executive Chairman, World Economic Forum

https://www.weforum.org/system-initiatives/the-digital-economy-and-society

Recommended Posts